terça-feira, 29 de janeiro de 2013


A vida doméstica – 1 Pedro 3:1-6.





Frases sobre o casamento: “Matrimonio – mar alto para o qual ainda não se inventou bússola”.

"De todas as formas, casem-se. Se conseguirem uma boa esposa, serão duplamente abençoados. Se conseguirem uma má esposa, voces se tornarão filósofos". Sócrates. 

“um antigo provérbio árabe afirma que o casamento começa com um príncipe beijando um anjo e termina com um careca olhando para uma mulher gorda do outro lado da mesa”.

Introdução: Escondida no coração da carta de 1 Pedro, está uma pequena e autêntica pedra preciosa, como um diamante em um anel.  Esses muitos versículos nos desafiam a reagir de forma correta, mesmo em circunstancias injustas. O termo chave para os cristãos nesse contexto é a palavra submissão. Ela é traduzida de um termo militar grego que significa submeter-se à autoridade de outro, sujeitar-se pelo propósito de obedecer ou de agradar outra pessoa.

1)    Sábios conselhos para as esposas. 
·        Os seis primeiros versículos da nossa passagem considerada uma “pedra preciosa da verdade”  referem-se às esposas, e o sétimo versículo se refere aos maridos. Por quê? “se um marido se tornasse cristão, ele automaticamente levaria sua esposa consigo para a igreja. Contudo, se uma esposa se tornasse cristã e seu marido não, ela estaria dando um passo sem precedentes que produziria os problemas mais complicados.
·        Três imperativos implícitos nesses importantes versículos:

1.1)        Analise suas ações: “mulheres, sede vós, igualmente, submissas a vosso próprio marido, para que, se ele ainda não obedece à palavra, seja ganho, sem palavra alguma, por meio do procedimento de sua esposa, ao observar o vosso honesto comportamento cheio de temor”. 
·        Esta passagem foi dirigida especialmente para mulheres, cujos maridos seguem seus próprios caminhos, que se importam pouco com as coisas de Deus, e que até zombam delas. Em suma, são maridos que não correspondem aos padrões do Senhor.

·        Formas de manipulação: manha, mau humor, tramas, barganha, reclamações, pregação, coerção ou humilhação por um espírito silencioso. E Esposas que usam essas estratégias que não estão confiando que Deus pode mudar a vida de seu marido. Elas estão confiando apenas em si próprias.

·        Uma esposa não é responsável pela vida do marido, apenas pela própria. Logo, voce não pode transformar seu marido em algo que ele não é: somente Deus pode fazer isso. Ruth Graham: “meu trabalho é amar o Billy. Já torná-lo bom é trabalho de Deus”.
·        OBSERVAR no grego sugere que essa é uma observação cuidadosa, não uma olhada casual. A medida que o marido desobediente observar o comportamento santo de sua esposa, o coração dele possivelmente se abrirá para as coisas espirituais, ou seja, pregação silenciosa de uma esposa amorosa. 

1.2)        Observe seu adorno e sua atitude: 


não seja o adorno da esposa o que é exterior, como frisado de cabelos, adereços de ouro; aparato de vestuário; seja, porém, o homem interior do coração, unido ao incorruptível trajo de um espírito manso e tranqüilo, que é de grande valor diante de Deus”. 

·        Pedro não estava proibindo o frisar do cabelo ou o adornamento com jóias, tampouco o uso de vestidos (bonitos). Ele apenas queria colocar essas coisas em segundo plano e destacar o caráter da mulher. Perspectiva  é a (palavra) chave para se entender isso.

·        Por outro lado, se o exterior for supervalorizado, aparência, os cosméticos e as vestimentas se tornarão significativos demais.  A partir deste momento, começamos a julgar a si mesma e aos outros somente com base nas aparências. 


Existe uma comparação muito antiga e verdadeira que diz: “os homens são como forno elétrico, acendem num piscar de olhos, e as mulheres como forno a lenha, precisam de uma boa dose de carinho, atenção e afeto para que surja a primeira  chama”. Os homens não agem desta forma porque são tarados, só pensam em sexo, mas sim por causa da sua formação neurológica e hormonal. Eles forma criados assim!

Está em alta uma nova moda, uma moda que chegou para destruir vidas e relacionamentos. É o “estilo periguete”. São roupas curtas extremamente curtas, é o corpo que sobressai em relação ao caráter. A moda gospel conta com peças segunda pele, decotes ousados, tomara que caia e blusinhas puxa-puxa: uma mão levantando pra louvar e a outra puxando a blusa para evitar que a barriga apareça.


        A beleza exterior é efêmera; a interior, eterna. A primeira é atraente ao mundo; a segunda agrada a Deus. Pedro descreveu a beleza interior como um espírito manso e tranqüilo, o que pode ser parafraseado como “uma tranqüilidade dócil”.

·        Demora apenas algumas horas para voce se preparar para a mais elegante das noites, mas demora uma vida inteira para preparar-se e desenvolver a pessoa escondida em seu coração.

1.3)        Avalie sua atenção: “porque assim se adornavam também as santas mulheres que esperavam em Deus e estavam sujeitas ao seu próprio marido, como Sara obedecia a Abraão, chamando-lhe senhor, da qual vós sois filhas, fazendo o bem e não temendo nenhum espanto”.

·        O fato de Sara ter chamado seu marido de Senhor (Gn 18:12) revela muito sobre o relacionamento entre eles. Isso mostra que Sara o respeitava, prestava atenção às necessidades dele, cooperava com suas vontades e adaptava-se aos desejos de Abraão. Pergunta: Seu marido está no topo da sua lista terrena?

·        Idéia de submissão: coitadinha, silenciosa, sofredora, deprimida, sendo pisada e chicoteada por um carrasco abusivo e infiel? Ou alguém que não abre a boca, pois não tem opinião formada sobre nada, uma verdadeira nulidade. Na verdade submissão significa “render uma obediência inteligente e humilde a alguém que tenha sido investido de poder por Deus”.

·        SUBMISSÃO se subdivide em duas outras palavras: Sub: debaixo de; Missão: carreira, ministério, vocação de seu marido.  “Filhas de Sara”: mulheres obedientes.

2)    Ordens enérgicas aos maridos



“igualmente vós, maridos, coabitai com ela com entendimento, dando honra à mulher, como vaso mais fraco; como sendo vós os seus co-herdeiros da graça da vida; para que não sejam impedidas as vossas orações”.

·        2.1) coabite com sua esposa. O termo grego nessa frase é composto por Sun (com) e Oikeo (habitar, residir); e colocadas juntas, essas palavras obviamente significam habitar juntos, ou seja, uma proximidade íntima.

·        Há uma profundidade, um senso de intimidade presente no sentido da palavra. E o apostolo estava dizendo que os maridos eram os responsáveis por isso no relacionamento.  O marido precisa estar em casa com a esposa, compreendendo cada espaço do coração dela e sendo sensível ás suas necessidades.

2.2) conheça sua esposa. Conhecê-la significa que voce sabe as respostas das perguntas complexas a respeito dela. Quais os adornos internos de sua mulher? Quais são os medos e as preocupações mais profundos dela?  Como voce a ajuda a superá-los na segurança do seu amor? O que ela precisa de voce? Por que ela reage da maneira como reage?

·        A maioria das esposas anseia por isso e algumas morrem esperando por isso. Poucas coisas dão mais segurança a uma mulher do que saber que seu marido a conhece de verdade. E é isso que resulta da intimidade criada pelo casal e que transforma o romance em um amor profundo e duradouro.

2.3) Dando honra à mulher, como vaso mais fraco. Cuidado: isso não tem nada a ver com fraqueza de caráter ou de inteligência.

·        “a mulher é chamada de vaso mais fraco, mas isso não deve ser interpretado moral, espiritual ou intelectualmente. Simplesmente significa que a mulher tem menos força física. O marido deve reconhecer essa diferença e levá-la em consideração”. 

·        Se a batalha dos sexos fosse reduzida a um cabo de guerra com uma filha de 100 homens de uma lado e de 100 mulheres do outro, os homens ganhariam. Pois, o que faz a diferença, é a composição muscular.

·        HONRANDO. O que é designar para ela um lugar de honra. Algumas perguntas: como voce trata sua esposa em um dia comum? Voce a honra? Voce lhe dá um lugar de significância? Ela sabe que é sua prioridade? Será que voce comunica isso a ela tanto com palavras como com ações? HONRAR OUTRA PESSOA NUNCA É ALGO QUE GUARDAMOS PARA NÓS MESMOS.


Conta-se uma história de um rapaz que queria se casar. O costume da sua terra natal mandava que ele se dirigisse ao pai da moça e oferecesse um dote por ela. Foi o que ele fez. O rapaz procurou o pai da sua escolhida e lhe ofereceu vinte vacas pela mão de sua filha. Ao saber disso, seus amigos ficaram indignados, pois um homem poderia conseguir uma esposa linda por apenas cinco vacas! Inclusive eles ponderaram que a moça em questão valeria, no máximo, duas vacas. Mas o jovem não quis ouvir os argumentos dos amigos e manteve sua oferta. O pai aceitou as vinte vacas, e o casamento foi realizado. O tempo passou  e os amigos do casal se admiravam de como eles se davam bem. Ela era uma esposa amável, dedicada, amorosa, que não media esforços para agradar seu marido. Então, todos os homens da vila começaram a invejar o rapaz por causa da mulher maravilhosa com a qual ele havia se casado. 

CONCLUSÃO: Resumindo: Esposas, suas ações, seus adornos, suas atitudes e sua atenção são importantes para o seu casamento. Maridos, coabitai com suas esposas, conhece-las e honrá-las são imperativos para que seu casamento seja o que deveria ser aos olhos de Deus. Pedro encerra com uma promessa: para que não sejam impedidas as vossas orações. 

terça-feira, 22 de janeiro de 2013


O discípulo radical: equilíbrio. 1 Pe 2.1-17.                                                                                          
Introdução: o antigo Duque de Windsor, que por um curto período de tempo foi o Rei Eduardo 8, morreu em Paris em maio de 1972. Alguns documentos foram encontrados, incluindo partes que mostravam Eduardo 8 sendo questionado a respeito de sua educação. Ele disse: “...Quando eu fazia algo errado, ele às vezes me advertia dizendo: “meu querido menino, você deve se lembrar de quem é”.  A Pergunta é: quem somos nós?
1)    Bebês (1 Pe 1:2-3). O novo nascimento é uma mudança profunda, interior e radical, realizada pelo Espírito  Santo em nossa personalidade humana, que nos concede um novo coração e uma nova vida e nos faz uma nova criatura (João 3:7). O problema é que não emergimos do novo nascimento com o entendimento e o caráter de um cristão maduro, nem com asas angelicais totalmente desenvolvidas, mas “crianças recém nascidas”.

2)    Pedras (1 Pe 2:4-8).  A segunda metáfora (imagem) é a de pedras vivas. Ele sai do mundo da Biologia (nascimento) e vai para o mundo da arquitetura. Um prédio em construção é feito de pedras e não temos dificuldade de reconhecer que é uma igreja. A Igreja do Deus vivente, o povo de Deus. Na verdade, nada pode destruir a igreja de Deus. Jesus prometeu  em Mateus 16:18: “as portas do inferno...”.  Como, então, nos unimos à igreja? Ingressamos à expressão visível, externa na igreja pelo batismo (1 Pe 2:4).

3)    Sacerdotes (v.9). Agora ele chega à terceira metáfora e nos compara a sacerdotes santos cujo dever é adorar a Deus. Pedro escreve que Deus nos fez tanto “sacerdócio santo” (v.5) como “sacerdote real” (v.9). O que o apostolo quer dizer? Na época do AT, os sacerdotes israelistas possuíam dois privilégios: 1) eles desfrutavam do acesso a Deus. Apenas o sacerdote tinha a permissão para entrar no templo, e somente o sumo sacerdote podia entrar no santo dos santos e – apenas no dia da propiciação; 2) O segundo privilégio era o oferecimento de sacrifícios a Deus. Por intermédio de Cristo, todos nós gozamos do acesso a Deus (Hb 10:19-22) e, por meio de Cristo, todos nós oferecemos a Deus os sacrifícios espirituais da nossa adoração.

4)    Povo de Deus. Somos a “propriedade exclusiva de Deus” (Ex 19:5-6), quando Deus diz ao povo de Israel, que tinha acabado de ser redimido do Egito, que se eles mantivessem seu pacto, obedecendo aos mandamentos, seriam sua propriedade mais rica, sua nação escolhida de entre todas as nações da terra, uma nação santa. Mas por que Deus nos escolheu? Para sermos testemunhas.

5)    Estrangeiros (v.11). As palavras gregas são interessantes. “forasteiro” é aquele que não tem direitos no lugar onde vive; “peregrino” é aquele que não tem lar. Portanto, agora eles agora eram cidadãos de dois países e chamados à santidade.

6)    Servos (1 Pe 2:12-17). Pedro incentiva os leitores a viver de tal forma entre os pagãos que eles possam ver suas boas obras, a submeter-se às autoridades seculares.CONCLUSÃO: crianças recém-nascidas (crescer); pedras vivas (comunhão); sacerdotes (adoração); povo de Deus (testemunhas); estrangeiros (santidade) e servos (cidadania).

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013


Joni Eareckson Tada : “vou dançar com meus próprios pés”. Creio na ressurreição do corpo.

No dia 30 de julho de 1967, uma jovem esportista de dezessete anos sofreu um acidente ao mergulhar na baía de Chesapeake. Aquilo a deixou totalmente tetraplégica, paralisada do pescoço para baixo.

            De início, no hospital, ela lutou bravamente contra a própria condição, decidida a andar de novo. Mas aos poucos ela percebeu que o dano era permanente e que jamais recuperaria o uso das mãos e dos pés. Joni foi tomada por toda a gama de emoções humanas – amargura, frustração, ressentimento, ira e até depressão suicida. Ela também experimentou o que chamou de “ataque de fúria rebelde contra Deus”.

            Passando por um período de reabilitação e terapia, porém, e mediante grande apoio dos pais, irmãs, namorado e outros amigos, aos poucos Joni arrastou-se para fora do profundo buraco escuro. Ela começou a confiar em Deus e encarar o futuro com realismo. Ela aprendeu a pintar com a boca; ficou famosa como conferencista e escritora. Além disso, desenvolveu o JAF (Ministérios de Joni e Seus Amigos) para auxiliar portadores de deficiências.

            E o centro de sua transformação foi a redescoberta da Bíblia. Ela aprendeu suas grandes doutrinas. Joni foi auxiliada pela visão de Jesus na cruz, “imobilizado, desamparado, paralisado”, assim como ela. Mas o que mais a ajudou foi a ressurreição. “Agora tenho esperança no futuro”, escreveu. “A B´bilia fala que nossos corpos serão glorificados no céu...agora sei o significado de ser glorificado. È o momento, depois de minha morte aqui, em que vou dançar com meus próprios pés”.

Joni descreve uma convenção cristã em que o pregador, ao final de sua mensagem, pediu ao auditório que se ajoelhasse para orar. Ela observou enquanto obedeciam. Mas, claro, ela não podia obedecer. Assim, não conseguiu para de chorar. Era ainda mais difícil para ela porque, tendo crescido na Igreja Reformada, estava acostumada a ajoelhar-se para orar, Então Lembrou-se da ressureição:

Sentada ali, lembrei-me de que no céu serei livre para pular, dançar, chutar e fazer aeróbica. E embora tenha certeza de que Jesus ficará deliciado em me ver na ponta dos pés, há algo que planejo fazer e que pode alegrá-lo mais. Se possível, em algum lugar, em algum momento antes da festa começar; em algum momento antes de os convidados serem chamados à mesa do banquete nas bodas do Cordeiro, a primeira coisa que planejo fazer com minhas pernas ressuscitadas é cair sobre os joelhos gratos e glorificados. Em silêncio, vou me ajoelhar aos pés de Jesus”. 

terça-feira, 8 de janeiro de 2013


O que é o novo nascimento?

·        Uma nova vida, não uma nova religião.

Havia, entre os fariseus, um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus. Este, de noite, foi ter com Jesus e lhe disse: Rabi, sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele. A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus”.

Toda religião de Nicodemos, todo o seu admirável estudo, toda a sua disciplina e firmeza em cumprir a lei não substituíam a necessidade do novo nascimento. O que Nicodemos precisava, o que voce e eu precisamos não é de religião, e sim de vida. O objetivo de Jesus em referir-se ao novo nascimento é que o nascimento traz uma nova vida ao mundo.  É claro que, em certo sentido, Nicodemos estava vivo. Estava respirando, pensando, sentindo, agindo. Era um ser humano criado à imagem de Deus. Mas evidentemente, Jesus sabia que Nicodemos estava morto. Não havia vida espiritual em Nicodemos. No que diz respeito à vida espiritual, ele ainda estava por nascer. Precisava de vida, e não de mais atividades religiosas ou mais zelo religioso.  O que acontece no novo nascimento é que surge uma vida que não existia antes. Uma nova vida começa no momento do novo nascimento. Não se trata de uma atividade religiosa, de disciplina ou de decisão. Trata-se do surgimento de uma vida. 

·        Experimentamos o sobrenatural, e não um mero conhecimento de Deus.

Rabi, sabemos que és mestre vindo da parte de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele”.

Em outras palavras, o que importa não é a mera afirmação do caráter sobrenatural de Jesus, e sim experimentar em si mesmo o sobrenatural. O novo nascimento é sobrenatural, e não natural. Aquilo que é natural neste mundo não pode ser a causa da ocorrência dele. O versículo 6 enfatiza a natureza  sobrenatural do novo nascimento: “o que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito”.  A carne é o que somos por natureza. O Espírito de Deus é a Pessoa sobrenatural que ocasiona o novo nascimento.

Jesus disse: “o vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito” (v.8). O Espírito não é uma parte deste mundo natural. Ele está acima da natureza. É sobrenatural. De fato, Ele é Deus e sopra onde quer. Não O controlamos. Ele é livre e soberano; é a causa imediata do novo nascimento.

·        O que acontece no novo nascimento não é uma melhoria da velha natureza humana, e sim a criação de uma nova natureza humana – uma natureza que é realmente voce, uma natureza perdoada, purificada, realmente nova, que está sendo formada pelo Espírito de Deus, que havia em voce.