domingo, 30 de dezembro de 2012



Como se Parece o Desvio?

No seu livro, Revival (Avivamento), Richard Owen Roberts apresenta 25 evidências de uma condição desviada. Ele elabora cada uma delas, mas eu vou apenas dar-lhe os pontos aqui. Considere-os seriamente.

1. Quando a oração deixa de ser uma parte vital de uma vida cristã professa, o desvio está presente.

2. Quando a busca pela verdade bíblica cessa e a pessoa se torna contente com o conhecimento de coisas eternas já adquirido, não pode haver dúvida quanto à presença do desvio.

3. Quando o conhecimento bíblico possuído ou adquirido é tratado como um fato externo e não aplicado internamente, o desvio está presente.

4. Quando pensamentos ardentes sobre as coisas eternas deixam de ser regulares e consumidores, isso deveria ser como um sinal de alerta para o desviado.

5. Quando os cultos da igreja perdem seu deleite, uma condição de desvio provavelmente existe.

6. Quando discussões espirituais profundas são um constrangimento, há certamente uma evidência de desvio.

7. Quando os esportes, a recreação e o entretenimento são uma parte grande e necessária de seu estilo de vida, você pode concluir que está ocorrendo um desvio.

8. Quando os pecados do corpo e da mente podem ser praticados sem uma revolta na sua consciência, a sua condição de desviado é certa.

9. Quando as aspirações por uma santidade semelhante à de Cristo param de dominar sua vida e seu pensamento, o desvio está ali.

10. Quando a aquisição de dinheiro e bens materiais se torna uma parte dominante de seu pensamento, você tem uma clara confirmação de desvio.

11. Quando você pode pronunciar canções e palavras religiosas sem o coração, tenha certeza de que o desvio está presente.
12. Quando você pode ouvir o nome do Senhor ser tomado em vão, questões espirituais ridicularizadas e questões eternas tratadas de forma frívola, sem ser levado à indignação e ação, você está desviado.

13. Quando você pode assistir a filmes e programações de televisão degradantes e ler literaturas moralmente debilitantes, você pode estar seguro de seu desvio.

14. Quando quebras de paz na irmandade não são motivo de preocupação para você, isso é uma prova de desvio.

15. Quando a menor desculpa parece suficiente para afastar você do dever e da oportunidade espiritual, você está desviado.

16. Quando você fica satisfeito com sua falta de poder espiritual e não mais busca repetidos revestimentos de poder do alto, você está desviado.

17. Quando você desculpa seu próprio pecado e preguiça dizendo que o Senhor entende e lembra que somos pó, você revela sua condição de desviado.

18. Quando não há mais música em sua alma e em seu coração, o silêncio testifica de seu desvio.

19. Quando você se ajusta alegremente ao estilo de vida do mundo, seu próprio espelho vai lhe dizer a verdade sobre seu desvio.

20. Quando a injustiça e a miséria humana existem ao seu redor e você não faz nada para aliviar o sofrimento, fique certo de seu desvio.

21. Quando a sua igreja caiu em declínio espiritual e a Palavra de Deus não é mais pregada ali com poder e você permanece satisfeito, você está em uma condição de desviado.

22. Quando a condição espiritual do mundo declina ao seu redor e você não consegue percebê-lo, isso é testemunho da sua situação de desvio.

23. Quando você está disposto a enganar seu empregador, o desvio é patente.

24. Quando você se acha rico em graça e misericórdia e se maravilha com sua própria piedade, então você caiu profundamente em desvio.

25. Quando suas lágrimas estão secas e a realidade espiritual dura e fria de sua existência não é suficiente para fazê-las rolar, veja isso como um terrível testemunho da dureza de seu coração e da profundidade de seu desvio.
(extraído de Revival [Avivamento], Richard Owen Roberts)

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012



A força do amor!



Em três dias devorei o livro recontado do grande escritor francês Victor Hugo: "Os miseráveis".  Não é propriamente o livro original mas uma versão recontada/sumariada para a língua portuguesa. Os personagens principais desse livro são: Jean Valjean, Jarvet  e Cosete.

Jean perde os pais ainda criança, sendo criado pela irmã. Quando ela fica viúva com sete filhos para criar, ele começa a ajuda-la. Um inverno, porém, ele não consegue emprego. Desesperado ele rouba um pão. É pego e condenado a 10 anos de trabalhos forçados, que acrescidos de diversas fugas, tornam-se 19 anos.



Jarvet é o inspetor e totalmente cego pela lei e pela ordem e dedica a sua vida a combater o crime e a perseguir aqueles que são criminosos. Por ver o mundo em preto e branco não dar quaisquer mostra de compaixão genuina pelo humanos, define-se como o principal inimigo de Jean. 

 Cosete é uma pobre criança amplamente maltratada e desamparada pela casal que a acolhe a pedido de Fantine, sua mãe. De uma frágil e assustada menina, Cosete  passa, sob a guarda de Jean Valjean. 


       Neste livro percebe um homem que por uma necessidade –Jean -, fome, ousou roubar pão para os sobrinhos que passavam fome, entretanto foi preso e nisso pegou 19 anos de cadeia. Nesse tempo se tornou  insensível, acostumado com a maldade e as adversidades da vida. É expulso de todos os lugares, pelo simples fato de ser um ex-presidiário. 

Até que se deparou por um bispo benigno, que o tratou com humanidade e ternura e lhe disse para fazer o bem e não o mal! Diante da bondade este homem foi tocado profundamente e a sua vida sofreu uma metamorfose. Abriu uma fábrica numa determinada cidade francesa, tornou-se empresário e prefeito da cidade.

Por causa da bondade recebida do bispo, doravante, bondade e não a maldade tornou-se a sina desse homem. Com isso a gente percebe o quanto é necessário receber toque de bondade e de esperança diante de um mundo sobrecarregado na maldade e na condicionalidade do modelo da lei de Talião: olho por olho e dente por dente.

Mas esse personagem – Jean - era constantemente perseguido pelo passado: ex-condenado, ou seja, prisioneiro e, para piorar, fugitivo da justiça. Javert era o policial que o perseguia constantemente e sem cessar. O que aprendemos com isso: sempre haverá alguém que vai duvidar da nossa mudança, operada pelo Espírito Santo em nós. Enquanto Jean procurava viver acima da circunstancia, pagar o mal com o bem, o policial escrupuloso, legalista, e perseguidor vivia numa concepção que “pau que nasce torto morre torto”.

Cosete, uma menina, abandonada pela mãe por causa da extrema pobreza e que fora dada a uma familia mercenária e sem principio. Mas o nosso personagem - Jean - apareceu na sua vida para resgatá-la dessa vida pregresssa e sem futuro: dando-lhe futuro e dignidade.

O que posso compreender diante dessa literatura: sempre haverá toques de misericórdia apesar de um mundo cujo principio é a essência da maldade. Sempre devemos desconfiar dos legalismos, da justiça extremada, jamais devemos ser demasiadamente severos. E, quanto a menina Cosete - acostumada com a maldade, com a indiferença, com a ruindade - foi resgatada e a sua vida transformada por um homem transformado pela boa ação do padre Benvides.



terça-feira, 4 de dezembro de 2012


Esperança que supera a tentação.  1 Pedro 1:13-20.

Introdução: a sedutora mentalidade do cosmo.
·    
    Em João 17:14-15: Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo. Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal. MUNDO: Jesus estava falando sobre uma filosofia que envolve os habitantes da terra. Cristo não se referia a um lugar, mas a um sistema, que encontra suas origens no próprio inimigo (1 João 2:15-17). Trata-se de um sistema mundial manipulado pela penetração de Satanás e seus demônios, que movem as cordas para atingir os objetivos perversos do adversário.

·        Então, qual é o sistema? Qual é a sua filosofia? Qual é o sistema de referencia do cosmo – seu pensamento, suas atividades, suas metas? È um sistema que opera separadamente de Deus e em desacordo com Ele. Foi projetado para nos atrair, para nos seduzir com sua aparência resplandecente de fama, fortuna, poder e prazer.

·        Kosmos se refere a um sistema ordenado do qual Satanás é o cabeça, seus anjos caídos e demônios são seus emissários e os não salvos da espécie humana são seus súditos. Muito nesse sistema mundial é religioso, cultural, refinado e intelectual. Contudo, ele é anti-Deus e anti-Cristo.

1)    Desafio para ser diferente.

·        VIVENDO EM SANTIDADE (1 Pe 1:13-16). Perceba a força de suas sentenças: Cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios e esperai inteiramente na graça. Hoje, podemos dizer: “Tenha postura!”; “leve a vida a sério!”. E, então, declaramos o argumento decisivo de Deus, que diz, em essência: “Seja santo como Eu sou”.
·        O que é santidade? Não é obedecer a regras. Santidade consiste em absorver os valores dignos de outra pessoa. Quando andamos com alguém, especialmente alguém que amamos e admiramos, é normal que comecemos a absorver os valores daquela pessoa: assumimos seus trejeitos, sua maneira de falar, de se comportar, de agir. A medida que gastamos tempo com Jesus, os seus valores santos vão sendo incorporados a nós, e passam a fazer parte de nossa natureza: isto é santidade (1 Jo 4:18). Ser santo, portanto, é absorver os valores da pessoa que voce mais ama e admira: Jesus!

·        ANDANDO EM TEMOR ( 1 PE 1:17). Hoje não ouvimos muito sobre o temor do Senhor, e alguns, quando ouvem , lembram apenas da imagem de um pregador fervoroso, esmurrando o púlpito. NTH: Portanto, durante o resto da vida de voces aqui na terra tenham respeito a ele. Assim, a questão é: se vamos dirigir-nos a Deus como Pai, devemos conduzir-nos na terra de uma forma que reflita nosso respeito, nossa reverencia a Ele (Rm 14:12).
·        Um teste de A.W. tozer: “quem quiser conhecer sua verdadeira condição pode faze-lo verificando quais foram os seus pensamentos nas últimas horas ou dias. Em quem voce pensou nestas últimas horas do dia de hoje? Em que pensou quando estava livre para pensar o que lhe agradasse? Para o que se voltou o íntimo do seu coração quando estava livre para voltar-se para onde quisesse? Quando o pássaro do pensamento foi posto em liberdade, voou para longe, como o corvo, para pousar sobre as carcaças flutuantes ou, como a pomba, circulou e voltou para a arca de Deus? É fácil realizar este teste, e se formos sinceros conosco, poderemos descobrir não só o que somos, mas também o que vamos ser. Logo seremos a suma dos nossos pensamentos voluntários”.

·        FOCANDO SUA MENTE. (1 Pe 1:18-20). O que Cristo fez por nós? A primeira coisa que Cristo fez por nós foi livrar-nos da escravidão, de um estilo de vida fútil. Que tivéssemos conhecimento disso ou não, estávamos presos a um viver que nos oferecia apenas prazeres vazios e desejos que nos levavam a becos sem saída.  A única forma de sermos libertos daquela escravidão era alguém nos redimir. Esse resgate foi pago por Cristo, não com ouro nem com prata, mas com Seu sangue precioso.
·        A segunda coisa que Cristo fez por nós foi aproximar-se e fazer-se conhecido; Ele, que foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo,  mas manifestado, nestes últimos tempos, por amor de nós; e por ele cremos em Deus...para que a nossa fé e esperança estivessem em Deus (1 Pe 1:20-21). Como é a vida sem Cristo (1 Pe 4:3-4).  

2)    TÉCNICAS PARA LEMBRAR.
·        1) Preste muita atenção para aquilo que olha. Isso nos remete ao texto de 1 Pedro 1:13, no qual lemos que devemos preparar nossa mente para a ação, mantendo-nos sóbrios no espírito e fixando nossa esperança completamente na graça revelada em Jesus Cristo.  A Biblia diz que Moisés, pela fé, abriu mão dos passageiros prazeres do pecado para caminhar com o povo de Deus (Hb 11:24-26).
·        2) PENSE MAIS NAS CONSEQUENCIAS DO PECADO DO QUE EM SEUS PRAZERES. Uma das características do cosmo é que ninguém jamais menciona o lado feio dos prazeres pecaminosos.  O que o pecado causa: Entristece o Senhor; teremos que prestar conta dos nossos atos; magoar a esposa ou esposo, perdendo a confiança; magoar os filhos; destruir a credibilidade; dar espaço para o diabo me acusar, etc.
·        3) COMECE CADA DIA RENOVANDO SEU SENSO DE REVERENCIA A DEUS. Inicie o seu dia conversando com o Senhor, mesmo que essa primeira conversa tenha de ser breve.
·        4) PERIODICAMENTE AO LONGO DE CADA DIA CONCENTRE TOTALMENTE EM CRISTO.  Separe deliberadamente alguns minutos todos os dias para que seu olhar se perca, para que voce não se dê onde está, para que o toque do telefone não signifique nada porque voce está totalmente concentrado em Cristo.