sexta-feira, 7 de setembro de 2012


A biografia de Mabel Dean
https://encrypted-tbn2.google.com/images?q=tbn:ANd9GcQOphttRGgGcivtSACHpqqbbIefxpXT9Hfc1ciLmS9x-ynIj5eL

À tarde era chuvosa, e a pequenina menina de oito anos de idade olhava pela janela de sua humilde casa, contemplando as pessoas passando pela calçada. As lagrimas caiam pela sua face como rolavam as gotas de chuva sobre a janela... seus olhos estavam abertos, mas não contemplavam a cena que passava diante deles...Seus pensamentos estavam longe! Quem pode imaginar a tristeza e o desespero que invadem o coração duma menina de tão tenra idade, ao saber que a sua querida mãe tinha falecido? Oh! Que vazio no lar! ...que vazio no coração! Bondosos amigos e parentes procuravam  consolar a pequenina, mas ela sacudiu a cabecinha, e correu para seu canto predileto: a janela à frente de sua casa... Lá sentou, e segurando as  mãozinhas dos seus dois irmãozinhos menores, dizia: “Não chorem. Sua irmãzinha vai cuidar de vocês... eu não os deixarei – NUNCA! Eu ajudarei o papai a cuidar da casa e dos seus irmãozinhos... A sua tia cuidava deles, mas quem dava o amor de mãe e todo carinho aos dois pequenos, era a irmãzinha de oito anos de idade.

            Assim começou a vida de Mabel Dean. Nascida no estado de Missouri, no ano de 1884, ela com seus familiares mudaram para a cidade de Chicago, quando tinha 12 anos de idade. Os irmãos mais velhos saíram do lar, um após o outro, alguns para empregos distantes, alguns casando, mas Mabel sempre sentido a sua responsabilidade para com os dois irmãos mais novos, ficou no lar, ajudando o pai. Quando estes dois irmãos finalmente saíram do lar, Mabel estava sozinha com seu velho pai. Às vezes, visitava seus irmãos, mas sempre voltava ao lar na cidade de Chicago. Nesta época – ela tinha 26 anos de idade, e embora ainda jovem, começou a sofrer terrivelmente de reumatismo, a ponto de ficar inutilizado o seu braço  direito. Nesta condição, seu vizinho a convidou para assitir a uma grande campanha que estava sendo realizada numa tenda, armada num campo não muito distante da sua casa. Mabel, desconsolada com a sua condição física, e seu coração triste e vazio, aceitou o convite... Era a primeira vez na sua vida que ela tinha visitado um culto pentecostal – mas naquele noite, ela foi salva e totalmente curada!
            Ela começou a freqüentar os cultos numa Assembleia de Deus perto de sua casa. Uma noite, num culto de oração, enquanto orava, com seu coração cheio de gratidão por tudo que Deus tinha feito por ela, ouviu uma voz pronunciar o seu nome. Levantando a cabeça, viu que a igreja estava em completa escuridão -, e, enquanto procurava enxergar, viu uma palavra escrita na parede da igreja em letras brilhantes e vermelhas – ÁFRICA!... Assustada, clamou em alta voz – “SENHOR DEUS! O QUE QUERES DE MIM?” – E ela ouviu claramente a resposta: “MABEL DEAN, EU PRECISO DE VOCE NA ÁFRICA”. No mesmo momento, a visão desapareceu e ela se achou dentro da igreja, ajoelhada no altar, junto com outras pessoas e as luzes acesas. Ela pensou que certamente tinha sonhado isto, e não falou a ninguém a sua estranha experiência. Mas, seu coração começou a entristecer com o passar dos dias, e finalmente ao passarem uns meses, ela teve  outra experiência estranha. Ela estava no trem indo para a igreja... do subúrbio onde ela morava era longe e precisava viajar 40 minutos de trem até chegar na igreja. Nesta noite, ela sentiu de orar quietinha no seu canto durante a viagem. Novamente ela ouviu seu nome chamado, e abrindo seus olhos, deparou com total escuridão... mas, de repente, pareceu que estava no céu – viu Jesus com uma pequena pedra em sua mão – e viu que Ele lançou a pedra além dum mar – e caiu no canto dum grande país. E Jesus falou a ela e disse: “VOCÊ É AQUELA PEDRA – EU QUERO VOCE NAQUELE CANTO DO GRANDE PAÍS”. Aquela noite quando ela chegou ao culto, encontrou um missionário que recentemente tinha voltado da África. O culto  já tinha começado quando Mabel chegou, e ela sentou-se bem atrás. No fim da mensagem, o missionário disse com lágrimas nos seus olhos:  “Eu não posso mais voltar a Àfrica, e especialmente ao país tão querido ao meu coração – o Egito – minha saúde não me permite mais voltar, mas tenho orado o dia todo a Deus que hoje a noite Ele falasse ao coração dum jovem ou duma jovem nesta igreja para ir em meu lugar... e Deus falou a mim no começo deste culto, que hoje a noite Ele estava chamando alguém aqui para a África... Onde está esta pessoa? Para quem Deus falou hoje a noite sobre a África?”

            Quase sem saber o que estava fazendo, Mabel Dean se levantou e foi à frente da igreja. O missionário levantou ambas as mãos e disse: “Graças a Deus – eu pedi ao Senhor uma moça, porque o trabalho precisa de uma jovem para trabalhar entre as crianças órfãs, as mulheres, e jovens molas desprezadas por suas famílias”.

            Agora tinha a chamada, mas não apareceu o dinheiro para o seu sustento nem para a sua passagem. Mabel Dean com mais de 30 anos de idade, resolveu se empregar para ganhar o dinheiro necessário para sua passagem. Começou a trabalhar, mas parecia que o seu dinheiro nunca dava para todas as necessidades... O tempo foi passando, e quando tinham passado mais de dois anos, o Senhor apareceu a Mabel Dean, e disse: “ESTA É A ULTIMA VEZ QUE EU TE CHAMO – EU PRECISO  DE VOCE NA ÁFRICA – AGORA!” – Ela caiu de joelhos, e chorou: “SENHOR, EU QUERO IR, MAS NÃO TENHO DINHEIRO. E Ele respondeu: CONFIE EM MIM”.  Ela levantou-se  e foi na igreja. Ao chegar, uma senhora se aproximou dela na entrada da igreja e disse: “Mabel Dean, - eu ganhei uma herança de meu pai, de três mil dólares, e o Senhor falou a mim hoje para dar a voce mil dólares, e aqui está o dinheiro!”. Ela colocou na mão de Mabel Dean.

            Dentro de dois meses, Mabel Dean estava a caminho da África, com a sua passagem paga, e com o seu sustento (embora pouco), garantido e com um convite de uma missionária no Egito para trabalhar com ela.

            A viagem a bordo do navio que a levaria para o desejado destino foi difícil. Devido ao mar turbulento Mabel Dean passava muitos dias acamada, e quando ficava desesperada vinha sempre a palavra de Deus ao seu coração: “EU ESTOU CONTIGO”. Chegando em Cairo, no Egito, uma velha missionária americana estava a sua espera – “Graças a Deus que chegastes! – eu estou tão doente que não posso mais continuar o trabalho sozinha”. Ela levou Mabel Dean para um subúrbio distante do centro da cidade de Cairo; para uma pequena casa, cheia de meninas e meninos órfãos. Na chegada, as crianças olharam para esta nova senhora pensativas. A velha missionária disse-lhes: “Aqui está a vossa mamãe. Vocês sabem, a mamãe velha é doente e não pode cuidar de vocês, e nós temos orado todas as noites para a nova mamãe chegar, e esta velha mamãe poder descansar. Graças a Deus, que Ele ouviu e respondeu e aqui está ela”.  E a velha mãe descansou duas semanas depois, passou para o seu descanso eterno com Jesus!

            E, agora começou o trabalho – num país diferente! Costumes diferentes, povo, comida, enfim, tudo diferente”! E a língua árabe era tão difícil – quantas vezes ela caiu em pranto e orava: “MEU DEUS, ME AJUDA – NÃO POSSO! NÃO POSSO!”. E, sempre vinha aquela presença, aquela voz suave: /’PODES! NA MINHA FORÇA, PODES TUDO!”.

            Cuidava de 42 crianças com a ajuda de duas mocinhas: o pior era que ela não as compreendia, e nem era compreendida! Mas, aos poucos, foi melhorando e aprendeu um pouco da língua árabe, enquanto as pequenas crianças aprendiam bastante Inglês!

            Um dia chegou um grupo de 14 moças – dizendo: “Mamãe, voce não tem lugar para nós no seu coração? ( o egípcio não pergunta se tem lugar em casa, se diz: No teu coração). A moça mais velha (17 anos) falou: “nós somos sem famílias, algumas de nós são órfãs, algumas são viúvas,e algumas desprezadas por suas famílias! – Oh! Mamãe, faze lugar para nós no teu coração!”

            O que fazer? A casa era tão pequena, onde por estas moças? Mais uma vez no silencio da noite, em oração, veio a voz de Deus: “CONFIE EM MIM, TUDO FAREI”. No próximo dia, uma senhora inglesa parou na porta – “Madame” disse ela: “Eu vou voltar para a minha terra, e minha grande casa, não sei o que fazer com ela – tem 16 quartos, e muitas salas e dependências! A senhora não quer alugá-la? – Mabel Dean, com uma oração nos seus lábios perguntou: “quanto a senhora está qurendo para o aluguel?” – Respondeu a inglesa: Quanto voce paga por esta casinha? – Ao ouvir o preço ela disse: “podes me pagar o mesmo aluguel que você paga por esta casa! Quando podes mudar? Hoje?” –Que maravilhosa resposta a oração! Mabel Dean aceitou as 14 moças, e durante anos, ela aceitou por vários períodos, milhares de moças, ganhando centenas delas para Cristo eternamente.

            Ela saiu evangelizando com as suas moças, de vila em vila, abrindo trabalhos de cidades após cidades. Andavam, as vezes 30 Km por dia, mas sempre voltando jubilosas e ganhando almas para o reino de Deus.

            Depois de estar 9 anos no Egito, ela pensou voltar para sua terra por um pequeno período de descanso e rever os seus amados irmãos. Mas, ao pensar em deixar suas crianças e suas moças – sem a Mamãe. Oh! Como posso fazer isto? – Quando ela falava em sair, todos choravam e se agarravam a ela: “Oh! Mamãe, não nos deixe! Quem vai cuidar de nós?” – Ela resolveu ficar mais alguns anos. Suas moças estavam casando, algumas com altos funcionários do país e criado em lares cristãos. Dos meninos órfãos, 18 entraram no ministério, 11 eram funcionários de alta posição no Egito, e 3 deles são presidentes, diretores e professores no Instituto bíblico de Cairo, Egito.

Oh! Quentes noites de oração! Quantas vezes a pequena capela do orfanato vibrava com cânticos e orações! Quantos jovens foram salvos, quantos receberam o batismo do Espírito Santo e assim, ela continuava ano após ano. Com 52 anos, ela ficou cega, com cataratas em ambas as vistas. Mas uma noite Deus a curou completamente – e ela nunca mais precisou usar ósculos até o fim da sua vida.

Deus a curou de pneumonia e de muitas outras doenças – a sua vida foi dada totalmente a obra de Deus. Uma noite, aos 77 anos de idade, ela chamou suas “filhas” ao redor de sua cama e disse-lhes: “MINHAS FILHAS, HOJE EU VOU PARA O MEU LAR!” – “Mas, Mamãe – exclamaram  - como podes – é muito tarde e não tem navio americano no porto” – “NÃO MINHAS FILHAS, É MEU LAR ETERNO. ESTE É O LAR PARA ONDE EU VOU. PREPARAM UM TELEGRAMA ASSIM: MABEL DEAN PASSOU PARA O SENHOR. ESTÁ DESCANSANDO NO SEU ETERNO LAR”. As moças choraram, dizendo: “Não, não Mamãe” – mas ela insistiu, e elas escreveram o telegrama. Então cantaram uns hinos com ela, abraçou a todas e deu-lhes sua ultimas palavras de consolo... De repente, ela disse: “ADEUS! ELE ESTÁ ME CHAMANDO” – e passou para o Senhor.

Trinta e sete anos no Egito – sem voltar a sua terra uma vez sequer. Deu toda a sua vida, todo seu amor, todo o seu coração à obra de Deus no Egito. Hoje nos subúrbios de Cairo, há uma casa chamada “CASA MABEL DEAN PARA MOÇAS” aonde trabalhavam vários obreiros e missionários pentecostais.

E quem há de ouvir hoje a chamada do Mestre? QUEM ME DARÁ O SEU TODO? Quem irá por Mim aonde eu guiar? Quem colocará a sua vida sobre o meu altar, sem nunca olhar para trás?

Talvez não possas mais rever teu querido Brasil! Talvez dê tua vida lá mesmo nesse país para o qual Deus te chama! Mas Deus está perguntando: QUEM IRÁ SEM OLHAR PARA TRAS?

Traduzido por Ruth Doris Lemos.


terça-feira, 4 de setembro de 2012



Fujam do Egito. Jeremias 42.


Introdução: “o verdadeiro progresso espiritual somente pode ser alcançado através da catástrofe e do sofrimento, alcançando novos níveis após a profunda catarse que acompanha conflitos importantes. Cada período de agonia mental e física, enquanto o velho está sendo removido e o novo ainda está para nascer, produz diferentes padrões sociais e visões espirituais mais profundas”.

1)    O Egito como alternativa para o povo de Israel depois do cativeiro babilônico.

·        Quando os israelitas se cansaram de viver pela fé, eles caminharam cerca de 400 km a sudoeste, na direção do Egito, onde tudo era claro e preciso. Eles levaram Jeremias consigo.  A suprema ironia da vida do profeta foi haver terminado seus dias no Egito, um lugar que representava tudo aquilo que ele sempre censurou.

·        Esta não foi a primeira vez que Israel fez isso. A alternativa egípcia à fé tomava corpo, novamente. Quando Abraão, pai de todos os que vivem pela fé, cansou-se de viver por ela, ele rumou ao Egito (Gn 12:10-20). Ele esperava encontrar segurança entre os egípcios, mas, em vez disso, mergulhou na mentira e fez concessões.  À época do Êxodo, após os hebreus terem sido libertos da escravidão do Egito e serem treinados a viver pela fé no deserto, o desejo de voltar para a antiga condição era constante.

·        Mais tarde, quando a monarquia estava no apogeu, Salomão incorporou convicções egípcias à vida de fé ao casar-se coma filha do Faraó (1 Rs 9:16), ou seja, viver pela fé na Terra Prometida, mas ter ao lado a segurança egípcia.

·        Em 586, Israel estava arruinado. O templo, centro de culto quase por meio milênio, estava em ruínas. O ritual, rico em referencias e significado, fora abolido. As vozes dos sacerdotes, que haviam proferido palavras de afirmação por décadas, jaziam silentes.

1.1)                     O Egito era mais fácil procurar ajuda no Egito. Por quê?

·        As terras egípcias eram geograficamente bem determinadas. O grande rio Nilo, uma linha de vida verde atravessando o deserto árido, dividia o país. Ao longo do rio havia vida; longe de suas margens morte. Não havia mistérios montanhosos, vales imprevisíveis ou situações inesperadas.

·        O Egito tinha uma arquitetura matemática. As pirâmides e templos destacavam-se no horizonte em linhas precisas. As pirâmides organizavam e demarcavam as incertezas da morte.

·        Uma teologia simples, de causa e efeito. O invisível era traduzido em visível. Todos os deuses era representados por imagens: o gato, o falcão, a hiena, o touro, a íbis eram imagens dos deuses egípcios.  Era uma religião de controle absoluto.

2)    O Paradoxo da fé cristã.

·        O povo de Israel estava sendo levando para o cativeiro babilônico.  Quando estavam distante de Jerusalém cerca de oito quilômetros, o capitão babilônico, Nebuzaradã, recebeu ordens expressas do rei Nabucodonosor para que interrompesse a marcha e desse a Jeremias o direito de escolher entre ir ou ficar (Jr 40:1-5). Jeremias podia ir à Babilonia com a promessa de um tratamento especial, ou seja, sem correntes, sem privações. Ou ele podia ficar em Jerusalém, a cidade na qual viveu e pela qual lutou por toda a sua vida.  Gedalias, amigo de Jeremias, foi nomeado pra governar o restante do povo que ficara. Jeremias estava com 65 anos! Por outro lado, a vida na Babilonia poderia ser uma aposentadoria suave: honrada pela corte babilônica, protegida por um guarda pessoal, vivendo da pensão real. JEREMIAS ERA RESPEITO PELOS INIMIGOS DOS JUDEUS!

·        QUAL FOI A SUA DECISÃO? O profeta Jeremias estava acostumado a recomeçar do nada.  Afinal foi isso que fez a vida toda. Decidiu permanecer em Jerusalém. Ele deu preferência aos excluídos, aos pobres e aos entulhos – o que restou do povo que ele acreditava ser a base para Deus edificar um povo para sua glória.

·        Nunca houve uma condição mais favorável para o desenvolvimento de uma comunidade madura de fé. Do nada, Deus faria uma nova criação. Ele escolheu  estar onde Deus comandava, no centro da ação de Deus, no lugar da promessa divina, em meio à salvação do Senhor, desafiando o mundo ao seu redor, a opinião popular e o auto-engrandecimento.

3)    Ainda não era o fim...

·        Pouco tempo depois de Gedalias instalar-se como governador nomeado e Jeremias o seu trabalho de desenvolver vidas entre o povo de Deus, UM CRIMINOSO terrorista, Ismael, assassinou a Gedalias, massacrou a todos os que estavam por perto e jogou os corpos em uma cisterna gigante, em um verdadeiro banho de sangue. Sua ação foi combatida por Joanã, que reuniu os sobreviventes, perseguiu a Ismael e pôs-se em luta, buscando restaurar a ordem.

·        Joanã procurou o profeta Jeremias e pediu-lhe orientação de Deus. Deus confirmou a decisão  prévia de Jeremias: o povo deveria permanecer em Jerusalém (Jr 42:10-12). Entretanto, Joanã e os demais estavam cansados de viver pela fé e decidiram ir para o Egito. Um dos motivos foi medo. Todavia, a grande razão foi a recusa de viver pela fé. Eles não queriam aceitar os riscos e perigos de depender de um Deus invisível.  O povo não queria assumir a árdua tarefa de reconstruir uma vida de fé em Deus(Jr 42:14). Eles buscavam uma saída fácil. Muitas pessoas escolheram viver no Egito em vez de perseverar na fé.

·        O único problema com tal decisão é que a claridade dura enquanto durar a reunião. Não é um aprofundamento da realidade, mas uma fuga dela. É compreensível que pessoas que abraçam esse tipo de religião procurem ir ao maior numero de reuniões possível, a fim de experimentar a clareza, o controle e a ordem com o Maximo de freqüência.  

sábado, 1 de setembro de 2012

Tesouros perdidos dentro de casa



Os maiores tesouros que nós possuímos estão dentro da nossa casa. As maiores alegrias estão dentro de casa. As maiores derrotas também estão dentro de casa.

A mulher que perdeu a dracma perdida. Dracma era valiosa e significava o valor de uma vida. Dez dracmas equivalia toda a economia de uma mulher durante sua vida; ou, o presente de casamento do seu pai, para na eventualidade da morte do marido pudesse se sustentar, com dignidade.


A mulher procurou a dracma por todos os lados. As casas não tinham luz e muito menos  cimentada, chão duro. Ela ajoelhou no chão e perseverou, até que encontrou a dracma perdida. E convidou toda a comunidade pra participar da sua alegria. A dracma tinha valor. A mulher não se conforma, não captula. mas está pronta e disposta a procurar a dracma. É importante não conformar com a derrota e muito menos não justificar a derrota. O importante é tomar uma atitude, uma decisão, não se conformar e procurar a dracma perdida.

A mulher não estendeu a culpa em cima dos outros. Ela mesma assumiu a culpa. Sempre culpamos as outras pessoas, ou seja, a outra pessoa não eu, estamos entrando por caminhos perigosos. Ela tomou quatro atitudes.

1)    Busca direção. Diz o texto que ela acende a cadeia. 




·        As casas eram escuras, sem luz. Ela acende a luz. A mesma coisa é em relação a nós: precisamos nos confrontar com a verdade. Vivemos numa sociedade aonde não existe mais referencia, é uma sociedade relativizada. E precisamos que a Palavra de Deus vem reger as nossas atitudes, nossas reações.

2)    Esforço enorme: ela varreu a cabeça.


·        Varrer é preciso desalojar as coisas do seu lugar. Tirar a sujeita debaixo do tapete. O que significa: é ter coragem de mudar muitas coisas; remover algumas coisas do seu lugar; desinstalar muitas coisas erradas, hábitos.

·         “Plante uma palavra, colha uma ação; plante uma ação, colha um hábito; plante um hábito, colha um caráter; semeia um caráter, colha um destino”.

·        Valores perdidos dentro de casa: diálogo, compreensão, paciência, perdão. Em lugar da palavra de Deus está a novela. Não existe mais culto doméstico; tudo se tornou uma rotina. PRECISAMOS VARRER TODAS ESSAS COISAS.

3)    Ela procura diligentemente.
·        Buscamos soluções para nosso casamento, nossa vida familiar mas não somos zelosos, diligentes, perseverantes.  É preciso empenho, determinação, coragem para não desistir no meio do caminho. Ela se ajoelha no chão duro e busca incansavelmente em busca da moeda.
  
4)    Ela procura com perseverança: procurou diligentemente até encontrar.


·        Voce desanimou, parou. Não acredita mais na sua casa, no seu casamento, no seu filho. Pensou até no divórcio. É o fim da linha, fim do túnel.

·        Quero encorajar voce a não desanimar, a não retroceder, a não parar, a não desistir. O teu casamento pode ser restaurado por Deus. A sua vida não está acabada, destituída...Deus ainda é capaz de mudar o destino da sua vida, basta voce querer, perseverar.

·        Essa mulher quando achou a dracma perdida convidou as amigas e disse: vinde e celebremos pois eu achei a dracma perdida. Voce precisa celebrar a sua vitória. Ação de graças pela vitória.


CONCLUSÃO: O que motivou Jesus a contar a parábola é que os fariseus e saduces estavam preocupados com o fato de Jesus dar muita atenção aos publicanos e pecadores. Então voce é importante para Jesus, voce é especial.  Voce é o maior tesouro de Deus.

Crédito: Hernandes Dias Lopes e alguns acréscimos por Pastor João Vicente Pereira. 

NOVELA NÃO!!!



"Não meterás, pois, cousa abominável em tua casa, para que não sejas amaldiçoado, semelhante a ela; de todo, a detestarás e, de todo, a abominarás, pois é amaldiçoada" (Deut. 7:26).

1. Coloca os telespectadores na roda dos escarnecedores.

"Bem-aventurado é o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes, o seu prazer está na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite. Ele é como árvore plantada junto a corrente de águas, que, no devido tempo, dá o seu fruto, e cuja folhagem não murcha; e tudo quanto ele faz será bem sucedido" (Salmo 1:1-3).

2. Os vitoriosos não devem colocar nada que seja mau diante dos seus olhos.

"Portar-me-ei com inteligência no caminho reto. Quando virás a mim? Andarei em minha casa com um coração sincero. Não porei coisa má diante dos meus olhos: aborreço as ações daqueles que se desviam; nada se me pegará" (Salmo 101:2-3).

3. Quando ativado por satanás representa comunhão com as obras das trevas.

"Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas?" (2 Cor. 6:14).

4. Polui o fluir puro dos bons pensamentos.

"Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento" (Fil. 4:8).

5. Toca a coisa impura a respeito da qual Paulo advertiu.

"Que ligação há entre o santuário de Deus e os ídolos? Porque nós somos santuário do Deus vivente, como ele próprio disse: Habitarei e andarei entre eles; serei o seu Deus, e eles serão o meu povo. Por isso, retirai-vos do meio deles, separai-vos, diz o Senhor; não toqueis em cousas impuras; e eu vos receberei" (2 Cor. 6:16,17).

6. É impróprio para a noiva que se prepara para Cristo.

"Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o seu esposo" (Apoc. 21:2).

"...e habilitar para o Senhor um povo preparado" (Lucas 1:17).

7. Não devemos desperdiçar o tempo, mas remi-lo.

"Pelo que diz: Desperta, ó tu que dormes, levanta-te de entre os mortos, e Cristo te iluminará. Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios e sim como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus" (Ef. 5:14-16).

8. Não devemos ser co-partícipes dos ídolos dos filhos da desobediência.

"Mas a impudicícia e toda sorte de impurezas ou cobiça nem sequer se nomeiem entre vós, como convém a santos; nem conversação torpe, nem palavras vãs ou chocarrices, cousas essas inconvenientes; antes, pelo contrário, ações de graças. Sabei, pois, isto: nenhum incontinente, ou impuro, ou avarento, que é idólatra, tem herança no reino de Cristo e de Deus. Ninguém vos engane com palavras vãs; porque, por essas cousas, vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência. Portanto, não sejais participantes com eles. Pois, outrora éreis trevas, porém, agora, sois luz no Senhor; andai como filhos da luz (porque o fruto da luz consiste em toda bondade, e justiça, e verdade), provando sempre o que é agradável ao Senhor. E não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as. Porque o que eles fazem em oculto, o só referir é vergonha. Mas todas as cousas, quando reprovadas pela luz, se tornam manifestas; porque tudo que se manifesta é luz" (Ef. 5: 3-13).

9. Os espectadores se assentam no trono da violência, o que remove a aflição pelo pecado.

"Ai dos que andam à vontade em Sião...que imaginais estar longe o dia mau e fazeis chegar o trono da violência; que dormis em camas de marfim... mas não vos afligis com a ruína de José" (Amós 6: 1,3,4,6).

10. Ela com certeza não renova a mente.

"Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus" (Rm. 12:1,2).

11. Representa o fermento do mundo e deveria ser lançado fora do lar.

"Não é boa a vossa jactância. Não sabeis que um pouco de fermento leveda a massa toda? Lançai fora o velho fermento, para que sejais nova massa, como sois, de fato, sem fermento.Pois também Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi imolado" (I Cor. 5:6-7).

12. Devemos mortificar tudo que seja imundo e idólatra.

"Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as cousas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. Pensai nas cousas lá do alto, não nas que são aqui da terra; porque morrestes, e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus. Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria; por estas cousas é que vem a ira de Deus [sobre os filhos da desobediência]." (Col. 3: 1-3, 5,6).

13. É uma linguagem obscena da qual devemos nos despojar segundo o mandamento.

"Agora, porém, despojai-vos, igualmente, de tudo isto: ira, indignação, maldade, maledicência, linguagem obscena do vosso falar\" (Col. 3:8).

14. Não é um viver inculpável e santo, digno de Deus.

"Vós e Deus sois testemunhas do modo por que piedosa, justa e irrepreensivelmente procedemos em relação a vós outros que credes. E sabeis, ainda, de que maneira, como pai a seus filhos, a cada um de vós, exortamos, consolamos e admoestamos, para viverdes por modo digno de Deus, que vos chama para o seu reino e glória" (I Tess. 2:10-12).

15. Os espectadores não estão possuindo o próprio corpo em santificação e honra.

"Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição; que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra, porquanto Deus não nos chamou para a impureza e sim para a santificação" (I Tess. 4:3,4,7).

16. É uma fonte poluidora da qual procedem a maldição e a amargura.

"De uma só boca procede bênção e maldição. Meus irmãos, não é conveniente que estas cousas sejam assim. Acaso, pode a fonte jorrar do mesmo lugar o que é doce e o que é amargoso? Acaso, meus irmãos, pode a figueira produzir azeitonas ou a videira, figos? Tampouco fonte de água salgada pode dar água doce" (Tiago 3: 10-12).

17. Remove a vergonha causada pelo pecado.

"Serão envergonhados, porque cometem abominação sem sentir por isso vergonha; nem sabem que cousa é envergonhar-se. Portanto, cairão com os que caem; quando eu os castigar, tropeçarão, diz o Senhor" (Jeremias 8:12).

18. Cristo nos chama a ungir os nossos olhos, não a envenená-los.

"E colírio para ungires os olhos, a fim de que vejas" (Apoc. 3:18).

19. Devemos purificar-nos de toda impureza da carne, aperfeiçoando a santidade no temor de Deus.

"Tendo, pois, ó amados, tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus" (2 Cor. 7:1).

20.O ministério para Cristo requer que renunciemos às coisas desonestas ocultas.

"Pelo que, tendo este ministério, segundo a misericórdia que nos foi feita, não desfalecemos; pelo contrário, rejeitamos as cousas que, por vergonhosas, se ocultam, não andando com astúcia, nem adulterando a palavra de Deus; antes, nos recomendamos à consciência de todo homem, na presença de Deus, pela manifestação da verdade" (2 Cor. 4:1,2).

21. É um ídolo que causa confusão e deveria ser odiado.

"E quem fizer tropeçar a um destes pequeninos crentes, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma grande pedra de moinho, e fosse lançado no mar" (Marcos 9:42).

22. Ofende as crianças, levando-as ao tropeço.

"E quem fizer tropeçar a um destes pequeninos crentes, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma grande pedra de moinho, e fosse lançado no mar" (Marcos 9:42).

23. A visão conduz à prevalência da soberba.

"A lei do Senhor é perfeita e restaura a alma; o testemunho do Senhor é fiel e dá sabedoria aos símplices. Os preceitos do Senhor são retos e alegram o coração; o mandamento do Senhor é puro e ilumina os olhos. O temor do Senhor é límpido e permanece para sempre; os juízos do Senhor são verdadeiros e todos igualmente, justos. São mais desejáveis do que ouro, mais do que muito ouro depurado; e são mais doces do que o mel e o destilar dos favos. Além disso, por eles se admoesta o teu servo; em os guardar, há grande recompensa. Quem há que possa discernir as próprias faltas? Absolve-me das que me são ocultas. Também da soberba guarda o teu servo, que ela não me domine; então, serei irrepreensível e ficarei livre de grande transgressão. As palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração sejam agradáveis na tua presença, Senhor, rocha minha e redentor meu!\" (Salmo 19:7-14).

24. Já é tarde. Cristo volta em breve. Devemos rejeitar todas as obras das trevas.

"Vai alta a noite, e vem chegando o dia. Deixemos, pois, as obras das trevas, e revistamo-nos das armas da luz. Andemos dignamente, como em pleno dia, não em orgias e bebedices, nem em impudicícias e dissoluções, não em contendas e ciúmes; mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo e nada disponhais para a carne no tocante às suas concupiscências\" (Rm. 13:12-14).

"E a si mesmo se purifica todo o que nele tem esta esperança, assim como ele é puro\" (I Jo. 3:3).

25. Deus ordena que o povo santo destrua e rejeite todos os ídolos.

"Porém assim lhes fareis: derribareis os seus altares, quebrareis as suas colunas, cortareis os seus postes-ídolos e queimareis as suas imagens de escultura. Porque tu és povo santo ao Senhor, teu Deus; o Senhor, teu Deus, te escolheu, para que lhe fosses o seu povo próprio, de todos os povos que há sobre a terra" (Deut. 7:5-6).

26. É amizade com o mundo, produzindo inimizade para com Deus.

"Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para esbanjardes em vossos prazeres. Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus" (Tiago 4:3-4).

27. A face do Senhor está contra os praticantes do mal, e os espectadores não estão apartando-se do mal, como foi ordenado.

"Pois quem quer amar a vida e ver dias felizes refreie a sua língua do mal e evite que os seus lábios falem dolosamente; aparte-se do mal, pratique o que é bom, busque a paz e empenhe-se por alcançá-la. Porque os olhos do Senhor repousam sobre os justos, e os seus ouvidos estão abertos às suas súplicas, mas o rosto do Senhor está contra aqueles que praticam males" (I Pe. 3:10-13).

28. Se você acha que se trata apenas de uma mácula em sua roupa, ainda assim está errado.

"Por esta razão, pois, amados, esperando estas cousas, empenhai-vos por serdes achados por ele em paz, sem mácula e irrepreensíveis" (2 Pe. 3:14).

"Vós, pois, amados, prevenidos como estais de antemão, acautelai-vos; não suceda que, arrastados pelos erros desses insubordinados, descaiais da vossa própria firmeza" (1 Pe. 3:17).

29. A novela abrange as três tentações que satanás introduziu no Éden.

"Não ameis o mundo nem as cousas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele; porque tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo. Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente" (I Jo. 2:15-17).

30. Os vitoriosos que vêem o Senhor na Sua glória não necessitam disto.

"Que mais tenho eu com os ídolos? Eu o tenho ouvido, e isso considerarei" (Oséias 14:8).

Fonte: (Pr. David Wilkerson)


Queridos educadores, vamos nos abster de qualquer aparência do mal. NOVELA É NOVELO! Novela e qualquer tipo de programação que nada acrescenta, como também humorísticos que apenas causam tropeço na vida de todos. O que ela te beneficia?! Te distraí?! Procure se distrair com as coisas de Deus, em fazer um exercício, em aprender um idioma novo, em ler um livro, em brincar com as crianças, em orar, em visitar hospitais e presídios. Tenho CERTEZA que não terá tempo para novela, que só ensina o que não presta! CUIDADO educadores, somos EXEMPLOS para as crianças. E o SENHOR contempla TUDO. Que o Senhor nos abençoe e nos livre de toda a tentação